No dia 25 de novembro é quando nós que fazemos o movimento feminista nos articulamos em rede para denunciar e tornar visível a problemática da violência contra as mulheres. É preciso frear o racismo que torna as mulheres negras sujeitas mais vulneráveis, assim como melhorar o sistema de proteção que vem garantindo o aumento de denúncias e garantia de acolhimento para algumas mulheres. Enfrentar o sistema capitalista, racista e patriarcal é essencial para a melhoraria das nossas vidas!

Começou ontem, no dia 21 de novembro, dia Mundial da Pesca Artesanal, o Grito da Pesca, que reúne mais de 600 pescadores e pescadoras de 15 estados brasileiros em mobilização para denunciar a grave situação que a pesca artesanal e os territórios tradicionais pesqueiros tem enfrentado nos últimos anos com o avanço da privatização dos territórios!

A Mostra MAPE “Corpos Políticos – Nossos olhares marcam o tempo” exibirá 4 filmes de acervo do SOS Corpo e TV Viva produzidos na década de 80. A 3ª edição do Festival Internacional de Realizadoras acontece de 19 a 28 de novembro na plataforma Embaúba Play.

Com o tema “Viver sem violência é um direito de todas as mulheres!”, a abertura do curso conta com as participações de Ana Paula Portela,  Joziléia Kaiagang, Vilma Reis, Analba Brazão e será transmitida nos canais do SOS Corpo no youtube, facebook e twitter.

Estabelecida em setembro em imóvel que acumula meio milhão em dívidas tributárias com o município e a União, a Ocupação 8 de Março abriga 300 famílias, formadas em sua maioria por mulheres, idosos e crianças.

Nesta carta-relato, Analba Brazão. educadora e pesquisadora do SOS Corpo, narra um pouco da luta, da energia, sentimentos e caminhos construídos e vivenciados durante sua participação na II Marcha das Mulheres Indígenas, que aconteceu em Brasília, entre os dias 07 e 11 de setembro deste ano. Leia em nosso site.

Nós, do SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia, manifestamos nosso total apoio às reivindicações do movimento e solidariedade às trabalhadoras e trabalhadores do MTST/PE, que não têm medo de lutar por melhores condições de vida, por moradia, por uma cidade com direitos para a coletividade e contra os privilégios para a classe dominante branca e proprietária. 

Somando no Programa de atividades deste 28 de setembro – Dia de Luta pela Legalização do Aborto, o SOS Corpo realizará uma oficina virtual de reflexão entre militantes de movimentos sociais sobre esta causa, no dia 30 de setembro, das 17h às 20h. Inscreva-se!

O primeiro levantamento sociodemográfico nacional de lésbicas e sapatão é uma iniciativa realizada pelas organizações Coturno de Vênus e Liga Brasileira de Lésbicas e pretende coletar informações sobre as vivências de mulheres de todas as regiões do país. 

Na pauta do Superior Tribunal Federal desde agosto, tese que beneficia o agronegócio tem julgamento adiado mais uma vez e gera apreensão sobre direitos indígenas. (Foto: Cícero Bezerra)