Lenira Carvalho

Lenira Maria de Carvalho, presente!

“Vou batalhar e não posso estar sozinha nesta luta. Tenho que procurar mais e mais parceiras. É nisso tudo em que acredito e é por isso que tenho a esperança de que, um dia, nenhuma moça do interior ou da cidade, empregada doméstica, do comércio ou da fábrica, tenha que chorar em busca de sua própria dignidade”

Digo às companheiras que aqui estão

Lenira Maria de Carvalho narra sua trajetória na organização da luta das trabalhadoras domésticas no Brasil. O documentário entrevista Lenira em sua casa poucos meses antes de seu falecimento e, através dos seus relatos, traz à tona discussões elaboradas pela categoria que dizem muito sobre a formação social do Brasil, pois sua história pessoal se entrelaça com a luta por direitos e pela democracia nas últimas 6 décadas no país.

A luta que me fez crescer

A história de Lenira ajuda a entender não apenas a luta das trabalhadoras domésticas, mas a própria luta por democracia no último século. Nas reflexões de Lenira sobre o valor social e o significado do seu trabalho, ela expõe a estrutura da sociedade em que vivemos. Os escritos apresentam uma forma de olhar para o Brasil extremamente crítica, inquietante e original.

Assista o filme completo:

[FILME COMPLETO] Digo às companheiras que aqui estão
Documentário, 35 minutos
Direção: Sophia Branco e Luís Henrique Leal
Produção: Parabelo Filmes e SOSCorpo (2022, 35′)

Lenira iniciou a luta por direitos trabalhistas da categoria ainda no início da década de 1960. Durante os anos da ditadura militar e no processo de democratização do país, atuou na Juventude Operária Católica (JOC), junto a Dom Helder Câmara e outras lideranças populares ligadas à Teologia da Libertação.

Na década de 1970, fundou com outras trabalhadoras a Associação das Trabalhadoras Domésticas do Recife. Na constituinte, foi a liderança que representou a voz da categoria no Brasil, discursando em plenário e entregando a Ulysses Guimarães a carta das domésticas com suas reivindicações. Com o reconhecimento das trabalhadoras domésticas como categoria profissional na Constituição de 1988, junto com outras companheiras, Lenira Carvalho fundou o Sindicato das Trabalhadoras Domésticas do Recife.

Na década de 1980, atuou com outros grupos de mulheres e feministas na cidade, sendo também uma das fundadoras do Fórum de Mulheres de Pernambuco. Faleceu no dia 03 de agosto de 2021 deixando um legado muito importante para a cidade e para a luta das trabalhadoras domésticas no país.

A luta me fez crescer
Lenira Carvalho
Co-autora: Cornélia Parisius
Editoras: Carmen Silva e Sophia Branco
Diagramação: Isabella Alves
Edições SOSCorpo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.