10 de dezembro: Pelo direito e ter direitos”

Num contexto de retrocessos sociais, a disputa de narrativas sobre o sentido e efetivação dos direitos humanos é gigante. Temos uma análise lúcida sobre a dificuldade de garantia e implementação desses direitos desde os governos de esquerda. Hoje, sob governos de ultra-direita, os ataques aos direitos humanos são a marca registrada da gestão Bolsonaro-Mourão e se caracterizam pela promoção do ódio racista e misógino. Para este governo, os corpos que se diferem do padrão são dignos de serem estuprados, violados, assassinados, exterminados. Não há pudor em dizer que bandidos devem ser eliminados e que direitos humanos são apenas para “humanos direitos”. Leia a análise completa.

Leia mais »

Leia o Manifesto de Cristãs sobre o caso do Espírito Santo

“A tradição cristã é marcada pelas feridas abertas da misoginia tornada dogma e doutrina. Toda a hierarquia, autointitulada sagrada, foi construída sobre bases sólidas de ódio a nós, mulheres”. Leia o manifesto completo!

Leia Mais »

Ocupação de terras e desocupação na Argentina: O direito a construir outro habitat

No começo de setembro, Balakrishnan Rajagopal, Relator Especial da Organização das Nações Unidas sobre o direito à moradia, advertiu que as proibições temporárias de desocupação estão chegando a seu fim em muitos países, o que poderia provocar um “tsunami de desocupações”. Este tsunami parece estar ocorrendo na Argentina, onde as ocupações de terra começaram a ganhar espaço nas agendas midiáticas e políticas, pondo o problema histórico do acesso à moradia no centro do debate.

Leia Mais »

Nota pública sobre a prisão do advogado José Vargas Junior e sobre o desaparecimento de Cícero José Rodrigues de Souza em Redenção, sul do Pará

Diversas entidades e movimentos sociais, entre elas o SOS Corpo, assinam nota pública que denuncia a prisão arbitrária do advogado e ativista dos direitos dos trabalhadores ruais, José Vargas Junior e do desaparecimento de Cícero José Rodrigues de Souza, no sul do Pará.

Leia mais »

[Baixe agora!] Para Onde Vamos? Feminismo como Movimento Social

A nova publicação do SOS Corpo é de autoria coletiva e contém impressas em suas páginas reflexões sobre os desafios de organização, atuação e articulação do movimento feminista brasileiro contemporâneo frente ao contexto histórico-político que temos vivido ao longo dos últimos anos. Baixe agora!

Leia Mais »

Programa Entre entrevista Carmen Silva

Em entrevista ao Programa Entre da Rádio Frei Caneca, o jornalista Chico Ludermir, Carmen Silva, socióloga, feminista antissistêmica popular, que integra o coletivo político-profissional do SOS Corpo, conversou sobre os impactos da pandemia para o Brasil.

Leia Mais »

Desde sábado (23) até o próximo 31 de janeiro acontece a 20ª edição do Fórum Social Mundial, desta vez online. Dentro da programação, nesta terça-feira, 26 de janeiro, às 18h30, vai ser transmitida a mesa “Feminismos de Fronteira: práticas insurgentes para resistir e (re) existir”.

Diversas entidades e movimentos sociais, entre elas o SOS Corpo, assinam nota pública que denuncia a prisão arbitrária do advogado e ativista dos direitos dos trabalhadores ruais, José Vargas Junior e do desaparecimento de Cícero José Rodrigues de Souza, no sul do Pará.

De acordo com a PNAD Contínua do IBGE do 2º trimestre (abril, maio e junho), no Brasil, o número de trabalhadores domésticos formais que ficaram desempregados foi de 4, 33 milhões, o equivalente a 72,53% da categoria das trabalhadoras domésticas

Passados nove meses da primeira morte por Covid-19, o Brasil está prestes a atingir o número de 200 mil óbitos causados pelo coronavírus. Confira lançamento do Boletim nº 2 produzido pelo Observatório Direitos Humanos Crise e Covid-19.

Cladem Brasil lançou no último dia 17, o Edital “EXPERIÊNCIAS, DIFICULDADES E DESAFIOS: retratos dos serviços de aborto legal no Brasil durante a pandemia de Covid-19, com o apoio da Rede Médica pelo Direito de Decidir. As inscrições estão abertas até 26 de fevereiro de 2021.

Série de reportagens do LeiaJá analisa os impactos sofridos pela categoria no período de crise sanitária oriunda da Covid-19, da perda em massa de emprego à piora das condições de trabalho.