Este PL é assustadoramente violento e expressa o ódio institucionalizado, em que legisladores constroem leis para criminalizar mulheres, sobretudo meninas, que são aquelas que mais precisam realizar um abortamento acima de 22 semanas. São meninas vítimas de violências sexuais sucessivas e agora, revitimizadas pelo Estado que não as protegeu quando deveria.

A Frente Nacional contra a Criminalização das Mulheres e pela Legalização do Aborto denuncia mais um ataque orquestrado por grupos conservadores que atuam no Congresso Nacional contra a vida e os direitos das mulheres, meninas e todas as pessoas que gestam.

Vocês sabiam da importância crucial das eleições municipais para a luta por Justiça Reprodutiva? Atentas às eleições que se aproximam, o SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia, realiza no dia 19 de junho os Diálogos Por Justiça Reprodutiva, com o objetivo de promover um espaço de debate sobre como esse conceito e luta atravessa a vida concreta das mulheres, meninas e pessoas que gestam.

De olho no período junino, no próximo dia 12 de junho, a Ação Cultural Feminista pretende conversar sobre um tema que permeia a época: o amor. A Ação vai contar com roda de diálogo, forró feminista e muito mais! Confere aqui!

Conversamos com Rivane Arantes sobre as discussões resultantes do intercâmbio de experiências promovido pelo Fundo Labora, nos dias 23 e 24 de maio, entre o SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia e o Centro de Estudos Sindicais e Economia do Trabalho (CESIT) da UNICAMP, venha conferir um pouco mais dessa experiência.

A mais recente publicação da Edições SOS Corpo está disponível para download. Mulheres e Cidades: Injustiças territoriais, sexismo e racismo na mobilidade urbana, de autoria de Mércia Alves, é resultado de sua pesquisa de doutorado, refletindo a experiência de mulheres negras na vivência na cidade. Clique e baixe agora!

Falar de cidades não é falar só do urbano, mas sim, territórios de vida. Foi com essa reflexão que Mércia Alves abriu as aulas do curso Fontes e Veredas, realizado em agosto de 2023 e que teve como tema Mulheres e Cidades: uma reflexão feminista sobre a vida urbana. O curso integrou o calendário de atividades formativas do SOS Corpo e teve como objetivo refletir sobre as questões que atravessam a vida das mulheres na vivência em seus territórios. 

As contradições e tensões em torno do trabalho produtivo e o trabalho de cuidados das mulheres foi tema da atividade político-cultural do SOS Corpo, que marcou ainda o lançamento da publicação “Trabalhadoras Domésticas: Conflito na Luta por Direitos”, da pesquisadora e educadora Rivane Arantes.

No começo de maio o SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia participou do Seminário “Cúpula dos Povos Frente ao G20”, nesse texto Daniela Rodrigues compartilha suas reflexões de seu diário de bordo da viagem.