1

Está disponível para download a mais recente publicação das Edições SOS Corpo. O livro “Trabalhadoras Domésticas: Conflitos na Luta por Direitos no Brasil” da pesquisadora dos SOS Corpo, Rivane Arantes.

1

O livro Gestar, Parir, Morrer: Mulheres Negras, Morte Materna e o Racismo na Saúde, de Talita Rodrigues, é uma investigação profunda sobre a mortalidade materna em Pernambuco, Brasil, com foco nas desigualdades raciais e no impacto do racismo na saúde pública. Baixe agora a publicação!

1

Livro publicado pelas Edições SOS Corpo está disponível para download. A publicação apresenta uma análise sobre o papel das políticas públicas na luta contra a violência contra as mulheres, como têm sido aplicadas e como elas modificam a realidade.

A luta por direitos e melhores condições de vida das Trabalhadoras Domésticas nos dá veredas para entender o profundo significado do passado, presente e futuro das relações sociais e, da luta por direitos e democracia no Brasil.

O Baile da Viração do SOS Corpo acontece na quinta-feira, 14 de dezembro, a partir das 16h e tem uma programação que inclui feira de livros, lançamentos e muita música! Confira a programação!

1

Nesse 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, o SOS Corpo trás uma Leitura Crítica de análise sobre os paradigmas das políticas públicas que buscam mudar esse cenário. O artigo é de autoria da cientista política, pesquisadora e educadora do SOS Corpo, Natália Cordeiro.

1

Artigo aponta os dilemas causados pela retomada da sociedade civil aos instrumentos democráticos: como os movimentos sociais, em especial o movimento feminista, avança no enfrentamento às desigualdades e na busca da ampliação da democracia, sem desresponsabilizar o Estado e perder sua autonomia? Fazendo um resgate histórico da participação social na política institucional desde a constituinte, passando pelos governos petistas passados, a autora nos convida a refletir sobre os rumos futuros na retomada democrática atual.

No Dia da Consciência Negra, afirmamos: o racismo é real e destrutivo, enraizado em nossa sociedade. Não é invenção, mas uma dura realidade que gera desigualdade e opressão. Já passou da hora do antirracismo ser mais que discurso!