27 de abril é o dia de luta das trabalhadoras domésticas. Nestes tempos, mais luta do que nunca. A maioria das diaristas estão sendo dispensadas e demitidas ou estão sendo obrigadas a ir trabalhar em meio a pandemia, sujeitas aos riscos de contaminação por Covid-19 nos ônibus ou no trabalho de limpeza sem os devidos equipamento de proteção. Muitas estão enfrentando a fome e o desemprego. A nota da Fenatrad relembra momentos de luta e conquistas da categoria.

Em todo o país, coletivos, comunidades e iniciativas dos movimentos sociais têm se organizado de forma autônoma para ajudar as populações que cotidianamente estão desassistidas pelo Estado. Para além da solidariedade assistencialista pregada pelo capital, as iniciativas unem informação e ação política para mostrar que o problema da crise é a desigualdade social provocada pelo sistema.

Nós, da Articulação Feminista Marcosur, expressamos nossa preocupação com a crise global sanitária, a qual representa um risco para toda a população, levando os Estados a tomar medidas que tem um impacto diferenciado sobre as mulheres e as populações que estão em estado de maior vulnerabilidade. A atual crise econômica e social coloca em evidência o desumanizante modelo econômico capitalista e patriarcal que predomina no mundo.

Instagram did not return a 200.