27 de abril é o dia de luta das trabalhadoras domésticas. Nestes tempos, mais luta do que nunca. A maioria das diaristas estão sendo dispensadas e demitidas ou estão sendo obrigadas a ir trabalhar em meio a pandemia, sujeitas aos riscos de contaminação por Covid-19 nos ônibus ou no trabalho de limpeza sem os devidos equipamento de proteção. Muitas estão enfrentando a fome e o desemprego. A nota da Fenatrad relembra momentos de luta e conquistas da categoria.

Ao constatarmos que nossas familiares que são empregadas domésticas e diaristas continuam trabalhando normalmente, salientamos a EMERGÊNCIA de atender à quarentena estipulada pelas autoridades e reivindicamos a DISPENSA REMUNERADA das empregadas domésticas e diaristas pelos empregadores para que, assim, cumpram com as exigências de precaução no combate à propagação contagiosa do COVID-19.

Com a intensificação dos casos do novo coronavírus em Pernambuco e o início da transmissão sustentada no Estado, a Articulação Recife de Luta vem a público cobrar ações efetivas do Governo do Estado frente ao desabastecimento de água imposto de forma contínua às populações das favelas e bairros de baixa renda na cidade do Recife e na Região Metropolitana.

A Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político manifesta seu repúdio, mesmo que sem surpresa, à revelação de que o próprio presidente da República insufla manifestações que atentam contra as instituições da já abalada democracia brasileira.

A construção do Estado Democrático de Direito se faz com o fortalecimento da democracia e das instituições democráticas, com a garantia dos direitos humanos, com o enfrentamento das desigualdades e com a participação popular com liberdade de expressão e de organização. Inaceitável que o Presidente da República promova ações que ataquem estes pilares.

O Movimento de Luta Contra a Aids, aqui representado pela ANAIDS, RNP+BRASIL, MNCP e RNTTHP, REPUDIA as declarações do presidente da República, afirmando que as pessoas com HIV/Aids são uma “despesa” à sociedade.

O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC) expressa seu desacordo à indicação do ex-missionário, Ricardo Lopes Dias, para chefiar a Coordenação Geral de Índios Isolados e de Recente Contato (CGIIRC) da Funai.

O SOS Corpo vem através desta nota pública somar-se à rede de solidariedade à Amanda Palha, militante dos direitos humanos e ativista travesti que vem nos últimos dias sofrendo intensa perseguição política e fundamentalista por sua crítica à família monogâmica, heteronormativa burguesa.

1

Nós repudiamos esses e todos casos de violência que violam nossos corpos, e nossas subjetividades e criminalizam nossas expressões políticas. Denunciamos o recrudescimento do Estado, o avanço da censura sobre as manifestações culturais populares e as violências contra nós, mulheres.