Hoje, dia de ato de rua em favor de #JustiçaporMiguel, vimos reiterar a defesa da democracia e dos direitos humanos. Nos somamos à luta pela apuração célere e punição dos responsáveis pela morte do menino Miguel e reafirmamos a crítica à forma arbitrária como autoridades públicas em Pernambuco atuaram na manhã de sábado, 29 de maio de 2021, reprimindo com brutal violência a manifestação popular em defesa da vida de nossa gente.

Nos dias 10 e 11 de junho, às 19h horas acontecem as transmissões ao vivo da primeira parte do Seminário de 40 anos do SOS Corpo, com o tema, “Mulheres Insurgentes Pela Vida e Por Democracia”. Clique no post para saber a programação!

O Fórum de Mulheres de Pernambuco repudia a ação violenta da polícia militar do estado de Pernambuco contra a manifestação pacifica ocorrida neste sábado, 29 de maio. Não se tratou de espontaneísmo de policiais desequilibrados. O governo afirma que não autorizou essa ação violenta, então é preciso tomar medidas enérgicas.

Hoje, dia 31 de maio, como parte do evento Semana Internacional Menino Miguel: Justiça Pela Vida das Crianças Negras, será transmitida às 20h, live articulada pelo Fórum de Mulheres de Pernambuco.

Na próxima quarta-feira, 2 de junho, dia em que se completa 1 ano da trágica morte de Miguel, que caiu do nono andar de um prédio de luxo no Recife, a Mirtes Renata, mãe de Miguel e sua família a Articulação Negra de Pernambuco e a Coalizão Negra por Direitos convoca todas e todos a participarem da mobilização nacional para pedir justiça por Miguel e pela vida de todas as crianças negras.

Intervenção das OSC diante da 60ª. Mesa Diretora da Conferência Regional sobre a Mulher da CEPAL (fevereiro 2021), sobre o Fundo Regional de Apoio a Organizações e Movimentos de Mulheres e Feministas.

Neste 28 de maio de 2021, enfrentamos um conjunto de desafios na defesa dos direitos reprodutivos das mulheres e pessoas que gestam, nos solidarizamos com cada família vítima da necropolítica, que ceifou vidas por conta da morte materna evitável, e nos levantamos e fortalecemos a luta pela vida das mulheres, contra o racismo, o fascismo e os fundamentalismos que nos atacam cotidianamente!

1

Em novo ataque contra as mulheres, o governo agora quer ampliar o controle eugênico e racista de nossos corpos, violando nossa saúde sexual e reprodutiva. Através da Portaria 13/2021, SCTI – MS, o governo está implementando não apenas o controle, mas o impedimento reprodutivo de mulheres em situação de rua, o que se apresenta como promoção de práticas eugênicas, racistas e coloniais que persistem na atualidade com protagonismo do Estado brasileiro e de empresas farmacêuticas internacionais.

A assistente social, pesquisadora e feminista negra Mércia Alves, integrante do coletivo político-profissional do SOS Corpo, apresenta no artigo uma análise do agravamento das condições de vida das mulheres negras no contexto da pandemia de Covid-19 e os desafios teóricos para as/os profissionais do Serviço Social no enfrentamento das questões. Baixe para ler!