A Plataforma analisou as propostas, a partir de 3 eixos: Combate à corrupção e fiscalização dos partidos políticos, Representatividade de gênero e étnico-racial e Fortalecimento de mecanismos de democracia direta.

Para discutir os caminhos para o enfrentamento da violência política contra mulheres no país, a campanha #QueroMeVerNoPoder, da Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político, promove hoje, dia 9/3, às 19h, a live “Elas Cabem no Poder: Mulheres Contra a Violência Política”.

Programado para esta quinta-feira (1), às 19h, debate do Iser Assessoria vai tratar sobre as perspectivas que podemos apontar o que esperar para uma sociedade no pós-pandemia. O debate conta com a presença de Carmen Silva, educadora do SOS Corpo. Agende-se!

A publicação é uma coletânea de textos das iniciativas Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político e a Rede de pesquisadores e pesquisadoras Democracia e Participação, que apresentam contribuições importantes para o debate sobre a reforma do sistema político.

Live do SOS Corpo na próxima terça (9), às 16h, terá a presença de diferentes segmentos dos movimentos sociais para discutir quais as saídas possíveis para a crise e os caminhos para derrubar o governo Bolsonaro

Tem como manter um governo que se elegeu com ABUSO de poder econômico e disseminação de #desinformação (fake news)? Este governo que coloca em risco a vida do povo, cultua a morte e tem inclinações ditatoriais PRECISA ACABAR!

A Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político lançou um manifesto em que se posiciona favoravelmente à pressão pelo julgamento do TSE pela cassação da chapa Bolsonaro/Mourão no contexto das eleições de 2018.

Faz-se necessário que a Justiça Eleitoral exija a apresentação destas provas para que sejam analisadas e, deste modo, seja respondido à população se tais eleições foram ou não fraudadas.

No último dia 18, membros da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas, se reuniram com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia para impedir que o projeto de mineração em Terras Indígenas (PL 191) avance na Casa.