Programado para esta quinta-feira (1), às 19h, debate do Iser Assessoria vai tratar sobre as perspectivas que podemos apontar o que esperar para uma sociedade no pós-pandemia. O debate conta com a presença de Carmen Silva, educadora do SOS Corpo. Agende-se!

Artigo da Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político evidencia como o lobby das grandes empresas do agronegócio conseguem se apropriar da política com leis violentas, para seguir o caminho de privatização da democracia.

A publicação é uma coletânea de textos das iniciativas Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político e a Rede de pesquisadores e pesquisadoras Democracia e Participação, que apresentam contribuições importantes para o debate sobre a reforma do sistema político.

Entre idas e vindas, o atual projeto que visa combater a desinformação, as chamadas fake news, deve ser votada nas próximas semanas na Câmara de Deputados em Brasília. Mesmo com as mudanças no texto original, fruto de muita pressão de organizações da sociedade civil que lutam por direitos nas redes, o projeto ainda apresenta riscos. Entenda o que está em jogo em mais um episódio do A Casa É Sua.

A segunda live do SOS Corpo reuniu diferentes movimentos sociais que debateram as saídas que estão sendo construídas pela sociedade civil no enfrentamento da crise provocada pelo coronavírus e pelo governo Bolsonaro. Assista!

Live do SOS Corpo na próxima terça (9), às 16h, terá a presença de diferentes segmentos dos movimentos sociais para discutir quais as saídas possíveis para a crise e os caminhos para derrubar o governo Bolsonaro

Tem como manter um governo que se elegeu com ABUSO de poder econômico e disseminação de #desinformação (fake news)? Este governo que coloca em risco a vida do povo, cultua a morte e tem inclinações ditatoriais PRECISA ACABAR!

A Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político lançou um manifesto em que se posiciona favoravelmente à pressão pelo julgamento do TSE pela cassação da chapa Bolsonaro/Mourão no contexto das eleições de 2018.

Faz-se necessário que a Justiça Eleitoral exija a apresentação destas provas para que sejam analisadas e, deste modo, seja respondido à população se tais eleições foram ou não fraudadas.