Estabelecida em setembro em imóvel que acumula meio milhão em dívidas tributárias com o município e a União, a Ocupação 8 de Março abriga 300 famílias, formadas em sua maioria por mulheres, idosos e crianças.

Nós, do SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia, manifestamos nosso total apoio às reivindicações do movimento e solidariedade às trabalhadoras e trabalhadores do MTST/PE, que não têm medo de lutar por melhores condições de vida, por moradia, por uma cidade com direitos para a coletividade e contra os privilégios para a classe dominante branca e proprietária. 

A expansão dos casos de pessoas contagiadas com o vírus COVID-19 e as precárias condições de moradia nas favelas e periferias do país é motivo de intensa preocupação de entidades e especialistas que atuam nas áreas de saúde e desenvolvimento urbano no país, assim como das próprias famílias.

En continua lucha por el Derecho de las Mujeres a la Ciudad y a 30 años de la Convención de los Derechos del Niño, rescatamos la importancia de promover ecosistemas urbanos que contribuyan al desarrollo de las infancias.

No próximo ano, 2020, teremos eleições municipais no Brasil. Em que medida a ação dos movimentos de mulheres e feministas contribuíram para que gestores/as públicos passassem a planejar as cidades com uma perspectiva de gênero?

A justiça ordenou o despejo do prédio localizado na rua Santa Cruz 140 (cidade de Buenos Aires), mas as famílias conseguiram a suspensão. Enquanto isso, o governo da cidade não lhes dá soluções.