“Os detentores dos meios de produção do capital são os mesmos controladores dos grupos de mídia no Brasil”

“A mídia é a elite. A mídia compõe a elite. Os detentores dos meios de produção do capital são os mesmos detentores dos meios de produção simbólica e material e são os controladores dos grupos de mídia. Se não são os concessionários dos grupos de mídia na radiodifusão, eles são os controladores das mídias digitais eletrônicas e outras mídias”.

Esse foi o cenário apresentado por Ana Veloso, professora do departamento de comunicação da Universidade Federal de Pernambuco, integrante do Fórum Pernambucano de Comunicação, do Centro das Mulheres do Cabo e jornalista do Programa Fora da Curva. Ana Veloso é uma das referências na militância pela democratização da comunicação no Brasil e participou da roda de diálogo Reflexões e ação política das mulheres na comunicação, trabalho e direitos sexuais e reprodutivos do curso Caleidoscópio, trazendo um aspecto importante e que atravessa nossa luta enquanto movimento feminista: o direito humano à comunicação. 

Por meio da perspectiva da economia feminista dentro do campo teórico da economia política da comunicação, Ana apresentou o contexto da conhecida Batalha da Mídia. A comunicadora convocou ainda o movimento feminista, bem como os movimentos sociais em geral, para o engajamento na luta pela democratização dos meios de comunicação, front de disputa e consolidação do processo democrático no país. Para isso, é urgente o fortalecimento da comunicação popular e independente como aliada às lutas por direitos e garantias constitucionais.

Assista a fala completa de Ana Veloso no vídeo abaixo. Para saber mais sobre Quem controla a mídia no Brasil?, acesse aqui.

Deixe uma resposta

Next Post

“Nós tivemos que usar nossa inteligência para manter nossas tradições ancestrais e ao mesmo nos manter vivas”

qua jul 31 , 2019
Vera Baroni, da Rede de Mulheres de Terreiro de Pernambuco, falou sobre os processos de resistência histórica dos povos negros e de terreiro contra o fascismo e o fundamentalismo.
Instagram did not return a 200.
%d blogueiros gostam disto: