Nova publicação do Diálogos Feministas apresenta os desafios do feminismo frente a onda fundamentalista no Brasil

A mais recente publicação do projeto Diálogos Feministas acaba de ser lançada. Os Desafios do Feminismo frente ao crescimento da onda fundamentalista traz a contribuição de feministas de diferentes religiões que compartilharam suas análises sobre os desafios frente à difícil conjuntura que o Brasil atravessa com o avanço do conservadorismo, em especial ao fundamentalismo religioso, grande abalizador do discurso de ódio que tem transformado as relações cotidianas.

Clique aqui para baixar a publicação.

Atravessamos um ano de notícias estarrecedoras desde que um governo de ultra direita e extremamente autoritário assumiu o poder. Apoiado por um discurso religioso que manipula a fé das pessoas, que propaga o ódio e estimula o aumento da violência com ataques contra as pessoas de religiões de matriz africana e suas casas de culto, o atual contexto mostra ainda a íntima relação do presidente e da bancada fundamentalista com milícias que tem aterrorizado a vida das pessoas, especialmente nas periferias do país. Este mesmo discurso religioso mostra força para manter as desigualdades sociais a qualquer custo, sobretudo para relativizar a violência contra as mulheres e para controlar os nossos corpos.

Com análises de Ana Gualberto, Sonia Mota, Ivone Gebara, Eliad Dias dos Santos e Carmen Silva, a publicação traz os resultados dos debates coletivos realizados pelas mulheres participantes.Organizada pela Friedrich Ebert Stiftung em parceria com o SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia, a publicação apresenta a sistematização dos diálogos acontecidos em outubro de 2019, em São Paulo. 

Conheça outras publicações da Séries Diálogos Feministas

Deixe uma resposta

Next Post

Deixem a Lei Maria da Penha em paz!

qui dez 19 , 2019
Por Carla Batista - Projetos de lei pedem modificar a Lei Maria da Penha (LMP). Apresentados “a rodo” no Congresso Nacional, pretendem inibir a violência contra as mulheres, como se o problema estivesse na Lei e não nos limites à sua implementação.
Instagram did not return a 200.
%d blogueiros gostam disto: