São vários fundamentalismos, é um fundamentalismo que tem a sua matriz religiosa mas que também é político, que também eh econômico, que também é racista e é patriarcal.

Se é contra a vida de meninas e de nós mulheres que esse projeto fundamentalista se coloca, nós nessa campanha e nesta aliança queremos reafirmar, que é pela vida das mulheres.

Na próxima terça-feira, 4 de fevereiro, a partir das 18 horas, a Articulação Negra de Pernambuco realiza debate sobre a conjuntura política do país na perspectiva racial. Participe!

Vídeo feito pela Ação Comunitária Caranguejo Uçá mostra uma síntese dos principais momentos da programação que contou com aula pública, tarde de resistência político-cultural e os dois dias do Seminário, que reuniu pessoas dos 9 estados no nordeste.

No Programa Fora da Curva desta terça-feira (05), Silvia Camurça, pesquisadora integrante do SOS Corpo foi uma das convidadas para discutir o papel da oposição política em uma democracia.

Na semana que o presidente Jair Bolsonaro ameaçou não renovar a concessão pública da Globo, foi lançada na Câmara dos Deputados a Frente em Defesa da Radiodifusão. Com mais de 270 deputados, a Frente é formada por alguns políticos donos de meios de comunicação, fato que fere a Constituição Federal, já que parlamentares não podem ter ou manter concessões públicas de radiofusão.

O Programa Fora da Curva desta sexta-feira (01) analisou o atual cenário político da América Latina em momento de insurgências populares contra os avanços do neoliberalismo e como esse contexto afeta o Brasil. Ouça!

Deputado federal e líder do governo na Câmara, em entrevista veiculada essa semana, ameaçou reeditar AI – 5 caso ocorra radicalização do campo da esquerda em protestos de rua contra o desgoverno de Jair Bolsonaro.

As 82 organizações, redes e movimentos feministas e de mulheres signatários denunciam a existência na Nicarágua de uma situação de perseguição política e assédio contra mulheres presas presas no contexto da crise sociopolítica e de direitos humanos que o país vive desde abril 2018.

Ela flerta com o fascismo, mas submete a nação aos poderes globais. É totalitária – mas não impõe a lógica do Estado, e sim a da Mercadoria, da Empresa, da Meritocracia, do Investidor. Contra tal distopia, a ideia de revolução social.