Nota de 10 anos do Ocupe Estelita.
experiência do Estelita permeia muitas lutas do Recife de 2024. Hoje. “Sins” e “nãos” do Estelita formaram muita gente que está na linha de frente agora e modificaram radicalmente o percurso de muita gente também. Por outro lado, as construtoras, agências de publicidade, imprensa, Prefeitura e Governo continuam os mesmo em essência, mas precisaram incorporar discursos diferentes, assim como algumas ações, ainda que de forma limitada e hipócrita. Será que o projeto do Aeroclube, por exemplo, teria de partida uma cota de unidades de habitação social sem o precedente o Estelita?

Na abertura do mês de Março da #lutafeminista, apresentamos a publicação de mais uma Leitura Crítica, dessa vez sobre o tema da mobilidade urbana, o contexto da violência contra as mulheres no espaço público e os impactos na vida produtiva e reprodutiva das mulheres. Embasada por teóricas feministas negras e decoloniais, Mércia Alves apresenta um panorama da crise urbana e lança um olhar sobre o contexto na vida das mulheres negras.

O SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia apresenta uma nova edição do curso Fontes e Veredas, desta vez com o tema Mulheres e Direito à Cidade: Uma reflexão Feminista sobre a vida urbana, que acontecerá nos dias 30 e 31 de agosto.

O avanço de desastres ambientais causados pelas mudanças climáticas soma-se a uma vida cotidianamente precária. Para conter a violência da falta de investimento em políticas urbanas para as periferias, é preciso olhar para a situação das mulheres e incluí-las como sujeito da transformação que precisa acontecer.

Na sexta-feira, dia 18 de março, a partir das 19h, o  MTST Pernambuco promove uma ação de parceria com a Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB) em atividades públicas na cidade. O debate será realizado na Ocupação Sítio dos Pescadores, com a participação de Jô Cavalcanti, das Juntas Codeputadas e Mércia Alves, do SOS Corpo. Clique e saiba mais!

Ocupado desde o último dia 30 de janeiro, o antigo prédio do CSU tem ganhado vida, ação, luta e sonhos, depois de quase duas décadas de abandono pelo Estado. A luta é em defesa do direito à cidade contra a especulação imobiliária!

No segundo episódio da série O Corpo da Cidade, do Fórum Nacional de Reforma Urbana, Carmen Silva, socióloga e educadora do SOS Corpo fala sobre como as mulheres vivem a cidade, marcada por desigualdades e por violências.

Nós, do SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia, manifestamos nosso total apoio às reivindicações do movimento e solidariedade às trabalhadoras e trabalhadores do MTST/PE, que não têm medo de lutar por melhores condições de vida, por moradia, por uma cidade com direitos para a coletividade e contra os privilégios para a classe dominante branca e proprietária. 

O impacto da pandemia que escancarou de maneira cruel as precárias condições de vida de milhões de famílias brasileiras, especialmente as que são chefiadas por mulheres negras, será tema da aula aberta do FNRU no próximo dia 14 de julho. Saiba mais no post!