Organizações feministas no Peru tomaram as redes sociais no Dia Internacional de Luta das Mulheres, realizaram encontro virtual e ações de incidência em busca de justiça e igualdade.

Um contexto difícil se avizinha. Governo brasileiro, cada vez mais atrelado ao fundamentalismo, quer retroceder a um conceito patriarcal e racista de “família” e domesticar as mulheres. Mas feminismo resiste e segue sendo trincheira. Por CFEMEA e SOS Corpo, no Baderna Feminista.

No Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, várias manifestações e apresentações artísticas foram realizadas no Uruguai em diferentes partes do país. via @AFM_mujeres

As mulheres não partem, as mulheres desaparecem. O machismo, a indiferença e ineficiência do Estado e uma sociedade tolerante com a violência contra a mulher desaparecem. via @AFM_mujeres

O dia 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, foi comemorado com muita música em um país onde fanáticos religiosos cercam as poucas instituições que promovem uma perspectiva de gênero nos problemas sociais.

Cinco das 39 vítimas de feminicídio em 2020 foram mortas por policiais ou ex-policiais. A articulação Mulheres Livres de Violência denuncia que as instituições paraguaias falharam na tarefa de proteger as mulheres durante a pandemia. via @AFM_mujeres