“Como lutar contra um projeto autoritário de poder?” é a pergunta-chave do Conversas com a Böll – Olhando para Futuro

“Como lutar contra um projeto autoritário de poder? Uma conversa sobre o livro Ponto Final – A guerra de Bolsonaro contra a democracia por Marcos Nobre” é o próximo episódio do “Conversas com a Böll: olhando para o futuro”. A live acontece nesta quinta-feira (1/10), às 18h, no canal do Youtube da Fundação Heinrich Böll Brasil.

Por Leonardo Montel, no site da Fundação Heinrich Böll Brasil.

Manifestantes bolsonaristas em frente ao consulado geral da China no Rio de Janeiro

“É fácil chamar Bolsonaro de burro, de louco, ou das duas coisas. Só que isso não ajuda em nada a entender o que estamos vivendo. Pior, é uma maneira de dizer que não há nada para entender, é uma maneira de se desobrigar de pensar. E desobrigar de pensar é um dos grandes objetivos do projeto autoritário de Bolsonaro.” 

É com essa reflexão intrigante que Marcos Nobre abre o livro “Ponto Final – A guerra de Bolsonaro contra a democracia.” Professor do Departamento de Filosofia da Unicamp, presidente do Cebrap e codiretor do Mecila, Marcos Nobre tem vasta experiência para falar dos assuntos que abrangem o Bolsonarismo e conhece profundamente a democracia brasileira. Nobre é nosso convidado para debater o tema “Como lutar contra um projeto autoritário de poder?”, na próxima edição do projeto Conversas com a Böll.  Ademais, o autor já publicou obras como “A Dialética Negativa de Theodor W. Adorno”; “Como Nasce o Novo (2018)”” e “Lukács” e “Os limites da Reificação”. 

Além do escritor Marcos Nobre, a mesa virtual de debate receberá Tatiana Roque, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e vice-presidente da Rede Brasileira de Renda Básica. Tatiana foi Presidente do Sindicato dos Professores Universitários, de 2015 a 2017. Desde então, ela tem liderado um movimento conta os cortes financeiros e medidas autoritárias do governo brasileiro na área da educação. Tatiana é membra do partido de esquerda PSOL e foi candidata a deputada federal nas eleições de 2018, obtendo a suplência do partido. Atualmente, ela é diretora do Fórum de Ciência e Cultura. Também teremos a participação da pesquisadora e educadora do SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia e militante do Fórum de Mulheres de Pernambuco/Articulação de Mulheres Brasileiras e Articulação Feminista Marcosur, Verônica Ferreira. Ela cursa estágio de pós doutorado no Mestrado em Serviço Social, Trabalho e Questão Social da Universidade Estadual do Ceará – UECE. A moderação do debate será feita pela Coordenadora de Direitos Humanos da Böll, Marilene de Paula,  e pela diretora da Fundação, Annette Von Schönfeld. 

Tatiana Roque, Verônica Ferreira e Marcos Nobre.

A live acontece no dia primeiro de outubro (2020), às 18 horas, e faz parte do projeto “Conversas com a Böll: olhando para o futuro” que busca analisar o momento atual da democracia brasileira, ouvindo diferentes pontos de vista. É a partir das hipóteses e análises do livro Ponto Final, do filósofo Marcos Nobre, que iniciaremos nosso debate. Nobre afirma que devemos entender Bolsonaro como um político com racionalidade, que tem suas ações altamente planejadas. Segundo o autor, como todo político autoritário, Bolsonaro não se apresenta como político, ele retira o peso e responsabilidade que a palavra carrega. Portanto, dizer que Bolsonaro tem problemas mentais ou é burro direciona as pessoas a pensarem que o atual presidente de fato funciona segundo outra lógica que não a da racionalidade política, o que pode não ser verdade. Vamos debater, na transmissão ao vivo pelo YouTube da Böll Brasil, por que a popularidade de Bolsonaro estava em baixa no começo da pandemia, mas agora subiu rapidamente. A renda emergencial e outros acontecimentos seriam o ponto principal para essa análise? A pandemia se consolidou como um fator favorável ou desfavorável ao projeto de perpetuação de Bolsonaro e aliados?

 Além desses pontos, é preciso lembrar que perto de completar dois anos de governo, o núcleo de poder aliado do presidente não gira apenas em torno de militares e religiosos fundamentalistas – mesmo que esses continuem ganhando espaço dentro do governo e na agenda pública. Parte do mercado financeiro e das elites econômicas ainda sustentam esse projeto conservador-autoritário, que se disfarça de democracia. Como nossos três convidados analisam esses aliados e o papel deles atualmente na política nacional? Eles acreditam em uma reeleição de Jair Bolsonaro? É possível mirar uma união das esquerdas progressistas para um possível horizonte de reversão do quadro anti-democrático no Brasil? 

O Conversas é um projeto da Fundação Heinrich Böll no Brasil, para discutir essas e outras questões que transpassam a democracia brasileira no contexto atual. É irrefutável que o ato de lutar pela democracia ainda é, para alguns, um conceito abstrato, principalmente para aqueles que historicamente sofrem as consequências das desigualdades sociais. Portanto, acreditamos ser preciso pensar e agir para a construção de um pacto social e institucional que possa incluir excluídos e abarcar grupos com a maior amplitude possível neste debate. 

Deixe uma resposta

Next Post

E depois da pandemia? Qual o nosso projeto de sociedade?

qui out 1 , 2020
Programado para esta quinta-feira (1), às 19h, debate do Iser Assessoria vai tratar sobre as perspectivas que podemos apontar o que esperar para uma sociedade no pós-pandemia. O debate conta com a presença de Carmen Silva, educadora do SOS Corpo. Agende-se!
Instagram did not return a 200.
%d blogueiros gostam disto: