Feminismo, relações raciais e lutas antirracistas

Como preparação de sua ação antirracista para integrar a programação do #JulhoDasPretas em Natal, o Coletivo Leila Diniz, realizou no sábado, 6 de julho, o terceiro Encontro sobre Feminismo Antirracista e Artivismo. Na manhã, foi realizada uma formação com a Comboio Cia de Teatro sobre Intervenções Artísticas e, à tarde, aconteceu a roda com Rivane Arantes, militante da Articulação de Mulheres Brasileiras – AMB, do Fórum de Mulheres de Pernambuco, integrante da equipe do SOS Corpo – Instituto Feminista para Democracia, abordando reflexões sobre “feminismos”, a urgência de compreender o feminismo antissistêmico, os conflitos das relações raciais e os desafios das lutas antirracistas. Esse encontro deu continuidade a uma série de ações que o Coletivo está promovendo na cidade.

Lançamento do livro sobre lutas antirracista

Convidada para facilitar a roda de conversa sobre o tema, Rivane Arantes estava também lançando o novo livro da série Formação Feminista, Meditações sobre Feminismos relações raciais e lutas antirracistas, de sua autoria. Em suas considerações ela salienta que:

“A gravidade com que o racismo, o patriarcado e o capitalismo articulados impactam sobre a situação do conjunto das mulheres e a singularidade com que esses sistemas determinam as assimetrias que subjugam as mulheres negras no Brasil dá cada vez mais sentido à realidade dos feminismos, desafiando-os a uma revisão conceitual e metodológica, tanto do ponto de vista da sua elaboração teórica quando de sua ação política. Nessa tarefa, os feminismos negros e latino-americanos, a despeito de constituírem-se uma proposta parcial, histórica e situada, apresentam-se como projetos concretos que já experimentam no cotidiano de seu fazer processos desejosos de descolonização do ser, saber e poder.”

Para esses feminismos, o racismo, constitutivo do patriarcado e do capitalismo, está diretamente ligado ao colonialismo que marcou os territórios materiais e simbólicos articuladores da pluralidade das mulheres que habitam o espaço-tempo chamado América. Esses elementos são estruturadores dos modos de produção e reprodução do viver no presente, modos que se convertem em resistências, já que as fronteiras desses lugares de opressão também são habitadas pelo desejo de liberdade e são depositárias das utopias que tecem, já agora, o futuro das que resistem e estão subjugadas.

Mas a realidade é dura e as vidas de nós, mulheres negras, sempre estão por um fio. As lutas antissistêmicas contra o racismo, o patriarcado e o capitalismo, nesse contexto de sistemáticas violações de nossos direitos
humanos e dilapidações de nosso ser no mundo, apresentam-se como a possibilidade mais concreta de podermos seguir navegando nossos próprios destinos. Como bem nos ensina Audre Lorde, aprendermos a falar na nossa própria língua, construirmos uma consciência daquilo que nos aliena, deixarmo-nos surpreender pela experiência, aprendendo com a ancestralidade, mas também com nossas filhas, irmãs, mães e amigas, formas novas de resistência coletiva que nos reidentifique com nossa identidade
negra e nos des-identifique com as diferentes formas do racismo, os valores e as engrenagens coloniais que nos subordinam ainda hoje, constitui-se, mais que nunca, uma forma de “fazermos o nosso trabalho” e nossa responsabilidade com a possibilidade de futuro. Sendo assim, resta-nos interpelar: estamos enfrentando o cansaço, o medo e, efetivamente, fazendo o nosso trabalho?

Série Formação Feminista

Esta serie tem o intuito de incentivar o debate e formação política. A intenção do SOS Corpo é difundir posições teóricas e políticas sobre temas básicos do pensamento feminista. Pretendemos contribuir com os processos de formação desenvolvidos pelos movimentos de mulheres e outros movimentos sociais, mas também dialogar com outras pessoas interessadas nas lutas sociais e na renovação do pensamento crítico, vinculado à perspectiva da transformação social.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Capa-Feminismo-Antirracista-1.png

O livro está disponível para aquisição na sede do SOS Corpo e também em formato PDF, podendo ser baixado gratuitamente no link abaixo. DOWNLOAD: Série_Formação Política: Meditações sobre feminismo, relações raciais e lutas anti racistas