Festa nenhuma: “Trabalhadoras domésticas vão a Disney à trabalho”

Em resposta a afirmação racista do Ministro da Economia Paulo Guedes sobre o que considera o aspecto positvo da alta do dólar, a Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (Fenatrad) lançou ontem nota de repúdio contra o Ministro.

Leia abaixo a nota completa, publicada originalmente aqui.

A Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (FENATRAD) repudia veementemente a última declaração do ministro da Economia Paulo Guedes, nesta quarta-feira (12), em que comemora o aumento do dólar, pois a moeda a “R$ 1,80 permitia a doméstica ir à Disney”.

“Trata-se de uma declaração extremamente preconceituosa e infeliz. Como um representante do alto escalão do Governo Federal pode emitir uma fala discriminatória contra uma classe tão importante para a sociedade? As domésticas contribuem para a economia mundial. São representantes da classe trabalhadora, e que tem direito de gastar seu dinheiro como desejar”, afirma Luiza Batista, presidenta da Federação.

Ela também frisou que esta situação colocada pelo ministro não condiz com a realidade da categoria.

“Com o salário que recebe uma doméstica neste país, elas só podem viajar para Disney acompanhando seus patrões, para tomar conta de seus filhos. Ou seja, a viagem é a trabalho. O salário mal dá para garantir uma cesta básica, nem mesmo financiar um momento de lazer com a sua família”, frisou a dirigente sindical.

De acordo com Luiza Batista, com o aumento do desemprego o trabalho da categoria das domesticas está cada dia mais precarizado. “Muitas perderam seus locais de trabalho, precisando fazer diária para sobreviver”, disse.

“O ministro Paulo Guedes precisa respeitar os trabalhadores brasileiros. Olhar com respeito e dignidade as trabalhadoras domésticas”, protestou.

Segundo ela, o governo Bolsonaro demonstra que odeia o Brasil e os trabalhadores deste país.