Reunião organizativa internacional rumo ao Fórum Feminista contra o G-20

Hoje, 7 de agosto, de 15h às 20h acontece em Buenos aires uma reunião de auto-organização do Fórum Feminista contra o FMI e G-20.

Por que lutar juntas contra o ajuste neoliberal, o FMI e o G20?
O G20 é o fórum econômico mais importante do mundo, formado pelos 19 países mais ricos e pela União Européia. É o espaço de coordenação de políticas macroeconômicas em nível global, com clara influência das economias mais poderosas e dos interesses das corporações transnacionais. Foi criado em 1999 e sua presidência é rotacionada anualmente entre os países membros. Este ano, a presidência está localizada pela primeira vez na América do Sul, já que está no comando da Argentina. Isto significa muitas reuniões sobre vários temas durante todo o ano com os seus homólogos dos países membros e uma cúpula presidencial que terá lugar entre 30 de novembro e 01 de dezembro de 2018.

As abordagens e propostas do G20 não contemplam as raízes estruturais da desigualdade de gênero que deixam as mulheres e as pessoas pobres de dissidência sexual em extrema vulnerabilidade. Assim, as definições resultantes destas reuniões hegemonizam uma agenda de liberalização econômica e de ajuste que representa os interesses do capital concentrado e mercados financeiros.

Por isso, nós, do movimento feminista, mobilizadas por problemas políticos dos nossos tempos e territórios, preocupando-nos com as opressões múltiplas estruturais e diárias em nossas vidas, lutando em todos os dias e multidimensionalmente, atuando de maneira horizontal e privilegiando os espaços de assembleia em nossas práticas de construção e interpelação, denunciamos

● Olhando para o futuro para a próxima reunião do G20 que será realizada na Argentina durante 2018, exigimos que as práticas democráticas, acesso e participação da sociedade civil sejam garantidas

● O fracasso da reunião ministerial da OMC é a oportunidade de avançar e construir o Segundo Fórum Feminista contra o poder corporativo  paralelamente à reunião do G20 em novembro, em Buenos Aires.

Como feministas nos mobilizamos contra a liberalização do comércio, violência econômica e do neoliberalismo, e exigimos relações equitativas de gênero, na justiça econômica e vida orientada para a sustentabilidade e desenvolvimento planeta!

A luta é global e feminista!

O esposas, trans, travestis, lésbicas, bissexuais, não binários, dissidência sexual, preto, migrantes, deslocados, refugiados, Afro-argentinos, afro-descendentes, indígenas, camponeses, trabalhadores da economia popularhermanadxs contra a crise civilizacional!
Fórum Feminista em frente ao G20