Para sustentar nossa Resistência, diálogos entre organizações de mulheres


Como sobreviver a esta conjuntura política defendendo direitos das mulheres? Quais os limites e vantagens da institucionalidade? Como as ameaças políticas estão sendo analisadas pelos fundos de cooperação e como eles impactam os rumos do movimento de mulheres? Quais os impactos disso nas nossas vidas?

De 26 a 27 de abril as organizações feministas SOS Corpo – Instituto Feminista para Democracia, Cfêmea – Centro Feminista de Assessoria e Pesquisa e Redeh – Rede de Desenvolvimento Humano, integrantes da Articulación Feminista Marcosur e Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB) estão promovendo um diálogo entre ativistas de organizações de mulheres para refletir sobre as ameaças e possibilidades à permanência como organizações autônomas e força política coletiva, na arena política brasileira no plano local e nacional. O convite é para dialogar sobre, numa época politicamente tão difícil, por quais caminhos é possível sustentar a militância e a resistência no Brasil?

Este diálogo será um momento reflexão e de articulação em favor do fortalecimento organizativo e das ações feministas na defesa e luta por direitos, igualdade e justiça socioambiental. Estarão reunidos coletivos locais, informais e/ou profissionalizados, e movimentos e redes, em especial de setores populares, do campo, das periferias de capitais e do interior de vários estados, considerando a diversidade de identidades políticas no movimento de mulheres. As organizações convidadas tem em comum a ação critica de resistência à agenda ultra neoliberal imposta há dois anos pelo golpe parlamentar-jurídico-midiático e o engajamento em ações e lutas de resistência à regressão de direitos, à militarização dos conflitos sociais, à ruptura das regras democráticas e desmonte do estado democrático de direito.


PROGRAMAÇÃO

26 de abril, quinta-feira
14h Abertura e contextualização
16h Tendencias da Cooperação Multilateral e Ecumênica: qual lugar dos movimentos sociais e de mulheres?
18h Perspectivas do apoio a projetos com mulheres na perspectiva dos Fundos: quê fortalecimento realizam?
20h Encerramento do dia e jantar. Noite livre.

27 de abril, sexta-feira
9h Abertura
10h Desafios a permanência das organizações de mulheres na conjuntura brasileira
14h Convergências e proposições
19h Lançamento da Publicação Mulheres Negras e Populares do Norte e Nordeste: Experiências que se Entrelaçam

28 de abril, sábado.
(ATIVIDADE COMPLEMENTAR CESE/SOSCORPO)
9h Abertura e contextualização
10h Questões sobre feminismo e movimentos de mulheres
11h Segurança em temos sombrios: questões orientadoras
15h Projetos de financiamento: perguntas chaves na construção da proposta.
17h Encerramento