• Home »
  • conjuntura »
  • Nota de repúdio ao massacre dos Indígenas Guarani-Kaiowá no Mato Grosso do Sul

Nota de repúdio ao massacre dos Indígenas Guarani-Kaiowá no Mato Grosso do Sul

 notaderepudioPAD_guaranikaoiwa_15jun16

As organizações, igrejas e agências que compõem o PADProcesso de Articulação e Diálogo e o Fórum Ecumênico Act – Brasil -FEACT-Brasil, que em outubro passado realizaram uma missão ecumênica em apoio aos Guarani-Kaiowá, vêm  outra vez manifestar primeiramente sua solidariedade aos povos indígenas do Mato Grosso do Sul, diante do assassinato de mais uma liderança e do grave ferimento a bala de mais cinco indígenas.

O ataque aos Guarani-Kaiowá aconteceu nessa terça-feira, 14 de junho, quando mais de 70 fazendeiros e pistoleiros invadiram a comunidade Guarani-Kaiowá no tekohá TeyiJusu, município de Caarapó-MS  e colocaram fogo nos pertences dos indígenas.

O líder indígena Cloudione Rodrigues Souza foi assassinado com um tiro na cabeça, disparado por pistoleiros no momento da chegada. Os ataques dos latifundiários teriam sido reação à retomada que os indígenas fizeram de suas terras. Cansados de esperar por providências, no último domingo, dia 12, um grupo significativo de indígenas reocupou as terras da fazenda Ivu, que já haviam sido demarcadas pelo Governo Federal, como sendo da etnia Guarani-Kaiowá.

PAD e FEACT- Brasil repudiam com veemência estas ações paramilitares,  que com a conivência do poder público, culminaram em mais um líder indígena assassinado em terras brasileiras e  cinco indígenas feridos com risco de morte. Exigimos providências imediatas frente a mais esse ataque dos ruralistas. Um massacre contra os indígenas Guarani-Kaiowá está em curso no estado de Mato Grosso do Sul. É urgente a intervenção do Ministério da Justiça em defesa da vida e da garantia de direitos dos povos originários deste estado, inclusive com a apuração dos fatos e a punição dos autores do assassinato da liderança indígena.

Conclamamos todas as organizações e movimentos  a se unirem em prol da defesa dos direitos fundamentais  dos povos indígenas, principalmente do direito originário às suas terras, garantidos pela Constituição Brasileira e por tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário.

Brasil, 14 de junho de 2016.

Publicado originalmente na página web do PAD

  • O PAD – Processo de Articulação e Diálogo é uma rede formada por agências ecumênicas europeias e entidades parceiras no Brasil (movimentos sociais, entidades ecumênicas e organizações não governamentais que tem como objetivo central promover reflexões e ações experimentais relacionadas aos temas da cooperação, do desenvolvimento, da desigualdade e dos direitos humanos.
  • O SOS CORPO integra o setorial de ONGs e a coordenação executiva formada a partir de maio de 2016Saiba mais aqui: http://pad.org.br/quem_somos