Nota da AMB: “A crise que o país atravessa e o que nós temos a ver com isso”

Diante da crise que o país está atravessa, a Articulação de Mulheres Brasileiras, movimento feminista antirracista e anticapitalista, expressamos sua posição em defesa da democracia e dos direitos das mulheres.

Não aceitamos o golpe contra o governo Dilma, primeira mulher na presidência da República, eleita legitimamente e contra a qual não há provas de qualquer crime. Entendemos o pedido de impedimento pelo presidente da Câmara como um ato que fere a institucionalidade que foi duramente conquistada nas lutas do povo brasileiro contra a Ditadura. A democracia brasileira ainda é frágil. Ela não representa nossos interesses. Mas não aceitamos que se reduza ainda mais. Por isso gritamos: Não vai ter golpe!

Estamos nas ruas, mobilizadas, lutando para mudar a situação de vida das mulheres que está cada vez mais precária, especialmente para as mulheres negras, pobres e das periferias. Quem ganha com a crise é a classe dominante que, a cada dia, vê seus lucros aumentarem. Não vamos pagar os custos desta crise! Exigimos do governo mudanças na sua política econômica e ambiental, além da garantia de direitos para o povo negro, para a população indígena, para a população LGBTT e para as mulheres. Seguiremos gritando: Nenhum direito a menos!

Não vamos recuar. Seguiremos em luta contra a aprovação no Congresso de qualquer medida que fira nossos direitos. Nossa voz nas ruas é a nossa força. Com ela enfrentamos o conservadorismo que tem imposto retrocessos na política brasileira. 

Machistas, racistas, capitalistas, não passarão!

Articulação de Mulheres Brasileiras