Mulheres pela Democracia

Nós do coletivo político profissional do Sos Corpo – Instituto Feminista para a Democracia, estivemos sempre presentes  nas lutas por justiça, e pela  democracia, somando forças com os movimentos sociais em especial com os movimentos feministas.

Este julgamento arbitrário do ex-presidente Lula é a demonstração do estado de ruptura democrática que estamos enfrentando desde o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff. O que está em jogo é a democracia brasileira. Este julgamento tem por objetivo mais que impedir uma das candidaturas para as próximas eleições: tem por objetivo banir da história a legitimidade dos governos do PT e de uma liderança da classe trabalhadora. Este sempre é o objetivo da burguesia.WhatsApp Image 2018-01-23 at 13.54.42

A luta é longa e o desafio é fazê-la em todos os âmbitos: no plano local, nacional e internacional; na nossa vida pessoal e na vida de todas as mulheres como grupo social;  exigindo transformações na política, na economia e na cultura; e construindo melhores condições para as nossas vidas, nas comunidades e nas relações entre os movimentos sociais. Neste 24 de Janeiro estaremos juntas com todos e todas para denunciar para o mundo o julgamento arbitrário do ex-presidente Lula e para dizer ao mundo que defendemos a institucionalidade democrática.

E seguiremos na resistência neste ano difícil: somamos na construção dos referendos revogatórios de todas as medidas antipopulares e anti-soberanas do governo golpista, seguiremos na luta contra o crescimento do conservadorismo, da misoginia, do racismo e do fascismo na sociedade e na política. Somaremos em todas as lutas dos setores populares, antirracista e feministas.

Nós, mulheres, não temos a democracia que queremos, mas não abriremos mão do que já conquistamos. A democracia é fundamental para seguir lutando!