Marcha das Mulheres Negras em Pernambuco

Por Mércia Alves*

Mulheres Negras de vários lugares de Pernambuco caminharam ontem (9), pelo centro do Recife, para dizer não ao racismo, à violência e pelo Bem Viver, com melhores políticas e direitos na vida das mulheres.

Ir às ruas do Recife foi um ato simbólico e também uma afirmação política da luta das mulheres que sempre estiveram nas ruas, praças, vilas e favelas lutando por melhores condições de vida. E o que se expressou na caminhada das mulheres negras pela cidade de rios e pontes e de profundas desigualdades é que a violência sexista e racista ainda impera em nossas vidas.

A Marcha das Mulheres Negras em Pernambuco fechou um ciclo de articulação e mobilização para a Marcha Nacional realizada em Brasília, em 18 de novembro de 2015, com mais de 20 mil mulheres negras e não negras, companheiras na luta de combate ao racismo e no enfrentamento à violência contra as mulheres. Nós nos organizamos nos últimos dois anos através do comitê impulsor da Marcha de Mulheres Negras no estado, para fortalecer o protagonismo das mulheres negras e dar visibilidade à situação histórica de desigualdades sociais e de gênero a qual estamos sujeitas.

Para confirmar o que as mulheres disseram nas ruas, os dados do Mapa da Violência 2015 apontam que o número de feminicídios contra as mulheres negras em Pernambuco cresceu 19,8% no período de 10 anos (a referência é o período de 20/03­/2013). Apesar dos dados divulgados nos causarem desconforto e inquietações por mulheres negras, jovens, pobres do estado estarem morrendo, o mesmo Mapa aponta para uma queda de 15,6% no caso dos feminicídios neste ano.

O Enfrentamento à violência sexista e ao racismo é uma questão central na luta das mulheres negras e esta batalha certamente deverá continuar, uma vez que aos nos organizarmos para a Marcha Nacional das Mulheres Negras, muitas questões despertaram para a importância da visibilidade da luta e da organização política destas mulheres para termos no plano nacional, estadual e municipal uma estrutura institucional que implemente o que rege o estatuto da igualdade racial em termos da formulação e implementação de políticas de promoção da igualdade racial.

No próximo dia 19 de dezembro o Comitê Impulsor estadual se reunirá para realizar uma avaliação da nossa presença na Marcha Nacional, mas será também um passo importante para pensarmos sobre os caminhos que pretendemos traçar para 2016. “ Por mim, por nós e pelas outras” na luta contra o racismo, à violência e pelo bem viver. Um lema forte que deverá nos inspirar no tempo.

 

* Mércia Alves é educadora do SOS Corpo, militante do FMPE/AMB e integrante do Comitê Impulsor da Marcha de Mulheres Negras de Pernambuco