FMPE no 28 DE SETEMBRO. É PELA VIDA DAS MULHERES !

Manifesto do Fórum de Mulheres de Pernambuco, que realiza ato público seguido de caminhada nesta segunda, a partir das 8h, na Praça Maciel Pinheiro, no centro do Recife.

28 DE SETEMBRO. É PELA VIDA DAS MULHERES.

Vamos enfrentar os deputados que ameaçam os direitos das mulheres!

Neste 28 de setembro, estamos nas ruas do Recife, assim como outros movimentos autônomos, para reafirmar nossa luta pelo direito das mulheres a escolher como e quando ter filhos/as, recebendo atendimento digno na rede pública de Saúde e não sofrendo discriminação e violência de qualquer tipo.

Em Pernambuco, nós, do movimento de mulheres, estaremos em ato público na manhã deste 28 de setembro, na Praça Maciel Pinheiro, centro do Recife, a partir das 8h, seguindo em caminhada pelas ruas.

Saímos às ruas em defesa do direito à escolha da mulher sobre o seu próprio corpo. Este ano, denunciamos deputados que ameaçam os direitos das mulheres, e tentam nos tornar criminosas por ter abortado, e também qualquer profissional de saúde ou qualquer pessoa que nos ajude com alguma instrução para fazermos o abortamento.

Esses deputados querem acabar até com os casos de aborto que já são permitidos pela lei brasileira. Isso está sendo defendido por um senhor, chamado Eduardo Cunha, que é o atual presidente da Câmara de Deputados.

Esse senhor apresentou o PL (projeto de lei) n. 5.069/2003 visando impedir que as mulheres não possam receber medicação para evitar gravidez mesmo se uma menina ou mulher sofrer um estupro. Esse deputado e outros parlamentares que o apoiam querem que uma mulher que sofreu violência sexual não tenha o direito a escolher interromper a gravidez resultante dessa violência. Isso é um absurdo! É um desrespeito a todas nós, mulheres.

Escondidas de familiares e de toda a sociedade, muitas mulheres fazem aborto de forma insegura, e acabam adoecendo e morrendo, muitas vezes deixando outros filhos. Nós mulheres temos direito à vida sem violência! Direito à garantia do abortamento autorizado em lei pelos hospitais e profissionais da saúde. É urgente que digam NÃO ao PL n. 5069/2013, pois sua aprovação significa um enorme retrocesso para a vida de mulheres e meninas.

Somente no ano de 2013, foram notificados 22.914 casos de violência sexual contra mulheres e meninas. Mais de dois terços dos casos de violência foram contra meninas de 10 a 14 anos e jovens entre 15 e 19 anos. É por isso o PL 5069/2013 não pode prosperar! Isso é o que metade desta nação, mulheres e meninas brasileiras, esperam dos (as) Deputados e Deputadas.

Nenhuma mulher deve ser presa, humilhada, adoecer ou morrer por abortar. Interromper uma gravidez não deve ser crime.
VAMOS RESISTIR TAMBÉM AO DESMONTE DAS POLÍTICAS DE IGUALDADE!

Diante das notícias divulgadas sobre a reforma ministerial do governo Dilma, manifestamos mais uma vez nosso repúdio à fusão da Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM), da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Sepppir) e da Secretaria de Direitos Humanos (SDH).

Em defesa da SPM e de todos os organismos estaduais e municipais, que são fundamentais para a defesa dos direitos das mulheres!

 

Fórum de Mulheres de Pernambuco, 28 de setembro de 2015