• Home »
  • Latinoamérica »
  • Carmen Silva: “uma experiência de mobilização de mulheres na Argentina prima por horizontalidade, construção coletiva e manifestação nas ruas.”

Carmen Silva: “uma experiência de mobilização de mulheres na Argentina prima por horizontalidade, construção coletiva e manifestação nas ruas.”

Por Carmen Silva

Neste fim de semana, de 8 a 11 de outubro, acontecerá em Rosário, o Encontro de Mulheres da Argentina. É o 30º ano deste encontro que reúne, numa metodologia que prima pela horizontalidade e pela mobilização nas ruas, cerca de 60 mil mulheres em uma cidade argentina. Tudo começou em 1985, com um grupo de mulheres que a partir de sua atuação nos debates sobre a década da mulher, da ONU, sentiu a necessidade de autoconvocação das mulheres para debater sobre sua situação no país. Em 1986 começaram os encontros nacionais de mulheres que são massivos, tendo sido o primeiro com 1000 mulheres e este próximo já tem como expectativas 65 mil. O encontro ocupa uma cidade durante três dias e é realizado com grande variedade de oficinas de debates, atividades culturais, atos públicos e plenárias.

Como afirma o site de divulgação: “La modalidad del Encuentro Nacional de Mujeres es única en el mundo, y eso permite que cada año nos sumemos de a miles: es autoconvocado, horizontal, federal, autofinanciado, plural y profundamente democrático. Cada año, al encontrarnos intercambiamos nuestras vidas, nuestras experiencias y convertimos problemas que parecen individuales en un problema de todas. Eso nos ayuda a encontrar los caminos para resolver nuestros sufrimientos. En el encuentro también expresamos nuestras luchas, la que damos en la fábrica, la casa, el barrio, el campo, la escuela, la facultad, la ciudad, etc”.

Do Brasil participaremos três militantes feministas do SOS Corpo, da Articulação de Mulheres Brasileiras e da Universidade Livre Feminista, respectivamente Carmen Silva, Vera Guedes e Priscilla Brito. Será uma oportunidade de aprendizagem a partir de  que se alimenta de princípios muito caros ao nosso feminismo: horizontalidade, construção coletiva e manifestação nas ruas.

Maiores informações podem ser buscadas no site http://encuentrodemujeres.com.ar/cronograma/

A foto do destaque retrata encontro realizado em 2015, e foi extraída do portal Carta Maior.