Campanha contra os fundamentalismos

Por Carmen Silva

WhatsApp Image 2017-08-02 at 09.24.44

A uruguaia Lilian Celiberti, da AFM, lança campanha contra fundamentalismos no Mundo de Mulheres, com uma fala que resgata o histórico desta expressão de luta feminista que tem ocorrido nos processos Fórum Social Mundial, marcando o lançamento após o ataque as torres gêmeas. Ela conta como a campanha é auto-organizada e que tem um símbolo, a boca, e um lema “Tua boca é fundamental contra os fundamentalismos”, podendo ser tomada por todos os grupos feministas, como manifestação de resistência contra o avanço dos funamentalismos religiosos no mundo e a ofensiva que estão fazendo contra os direitos das mulheres. Lilian deu exemplos do crescimento do fundamentalismo sobre o estado e a sociedade, como o caso da campanha na Colômbia que dizia ‘Contra a homossexualidade da Colômbia, vote não’, ‘Não se meta com meus filhos, contra a educação sexual’.

Mércia Alves, educadora do SOS Corpo denuncia a regressão de direitos no Brasil, elencando os Projetos de Leis que tramitam contra a autodeterminação reprodutiva das mulheres e saúde da população LGBTI.

índice índice2Graça, secretária Mundial da Marcha Mundial das Mulheres, fala no lançamento da campanha contra os fundamentalismos denunciando a situação do crescimento das igrejas neopentecostais em África e como as igrejas se servem dos preceitos para manipular através das leis, políticas e agora através do dinheiro. Manipula sobretudo o pensamento. “Precisamos contrapor a isso o sentido da sustentabilidade da vida. Se as igrejas são boas, se as tradições são boas, que sejam usadas contra o capitalismo que está destruindo nossos territórios, nossa vida é nossa cultura”.