AMB – LUTAR E RESISTIR! DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO – 31 DE MARÇO de 2016

1

LUTAR E RESISTIR!  DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO – 31 DE MARÇO de 2016

Com esta palavra contra a ordem nós nos abraçamos com a resistência. Sim, vamos resistir!

A direita fundamentalista, racista, patriarcal não vai nos intimidar. A lama da Samarco, a usina de Belo Monte, a entrega do pré-sal também não vão fazer esmorecer a nossa luta. O golpe travestido de impeachment no Congresso, o abuso de poder no judiciário, as investidas inescrupulosas da mídia, nada vai nos calar. O jogo de cartas marcadas entre os partidos da ordem, a lei terrorista contra as lutas populares, o escárnio misógino contra mulher presidenta na internet, não pode nos intimidar.

Se nos calarmos, o vermelho do nosso sangue vai amarelar, a vida vai ficar turva e os sentidos estarão perdidos. Mas o vermelho não é a única cor da luta. O roxo também é. E nós seguimos a luta com todas as cores, nossos tambores, nossas danças, nossos corpos marcados pela sina e pintados para ação política. Seguimos em nossa dissidência. Não queremos a ordem capitalista que dita a crise no mundo. Não queremos a ordem patriarcal controlando nossos corpos e determinando os lugares onde não podemos estar. Não aceitamos o racismo matando nosso povo na miséria e na bala. Não vamos recuar.

A nossa luta hoje e sempre é para poder seguir lutando. Ela pode renovar a cada uma de nós neste momento atribulado. Vamos ocupar as ruas, as rodas, a rede, por aquilo que é justo, com nossos corpos, nossa criatividade e nossa força.

Contra o ajuste neoliberal que retira nossos direitos. Em defesa do SUS e do direito à educação pública desde a infância e por toda a vida!

Pela legalização do aborto! Por mais  políticas de igualdade de gênero! Por mais políticas para mulheres! Pelas politicas de promoção da igualdade racial!

Pelos direitos da população GLBTT! Pelas diversas formas de família!

Por uma previdência pública e universal! Pela taxação das grandes fortunas! Pelos direitos das trabalhadoras domésticas! Pela política de valorização do salário mínimo! Contra a violação da CLT!

Por outra matriz energética! Pela defesa das terras indígenas, quilombolas e das populações tradicionais! Contra o veneno nas nossas mesas! Pela agroecologia e agricultura familiar!

Pelo direito à diversidade de modos de vida e de produção! Por soberania e liberdade!

Lutar não é crime! #Fora Cunha#